quinta-feira, janeiro 18, 2007

contagem [de]crescente 8

imagem de antónio ferra

Amanhã chegam os dias claros, ou, pelo menos, os dias mais claros, ainda que com indizível sofrimento. Mas tudo é possível, nesta roleta russa onde nos puseram. Quem poderá dizer onde andará o sol, o tal que é para todos, amanhã de manhã? Pode ser que brilhe com a sua precisão de majestade, e tire, de uma vez, a patinha presa na neve, que não nos deixa ver o mar nem cheirar os ventos das marés.

armandina maia

3 comentários:

Ultraperiférico disse...

António Ramos Rosa: "Em mim fora de mim a aliança a semelhança".

Abraços e abraços e abraços.

Propranolol.

Victor L. disse...

Esta noite há muitas luzes de presença que vão ficar acesas até de manhã. Por aqui também. Todas juntas dão uma luz grande.

MAM disse...

obrigada aos que. mesmo sem nos conhecermos, me guiam e iluminam os caminhos, (tão perversos às vezes, com o que escrevem e me escrevem. É com eles que me construo e me faço à estrada, por mais longa que seja.

armandina