domingo, outubro 23, 2005

biografia tardia por incompatibilidades de template


Nasceu em 1950, por alturas da Primavera, em Vila Nova de Gaia, uma cidadezita que lhe parecia ser do tamanho do mundo. Ampliou a geografia de origem com a partida para Coimbra, em que se defrontou com a história do país a preto e branco que até aí lhe parecera a cores.
Exilou-se por vontade própria, mais do que por imperativos políticos. Viveu entre Itália e Portugal oito longos anos, de fulgor e muita mágoa pela separação. Descobriu cedo que a pátria é um conceito permeável.
Criou dois filhos, entre cantigas e bastantes histórias com futuro, que continuam à espera de um epílogo feliz. Passou por Camões, num Instituto onde dirigiu a Acção Cultural Externa, título e honrarias que lhe passaram ao lado, na fúria de inventar um lugar para uma cultura fora dos lobis e do umbigo lisbonense europeizante.
Tem amigos e inimigos, como convém a qualquer pessoa parecida com um ser humano. Entre as obsessões de estimação, contam-se a luta infindável contra o esquecimento, esse branqueamento de capital humano que despovoa e erradica a memória, o mais unitário de todos os elos.
Por isso, espera continuar a manter esta “luz de presença”. Par que se saiba quanto mundo existe para lá da “realidade” que todo os dias nos dão a comer numa bandeja.

1 comentário:

maria joao martins disse...

Queridíssima amiga,
É linda esta biografia (e a foto) por´assumir a forma mais difícil de lucidez - a que se exercemos sobre nós mesmos. também é assim que a vejo e sinto.
Beijinho