segunda-feira, dezembro 24, 2007

(d)os calendários sem natal



Elas continuam paradas e tristes, à espera de um lugar no mundo. Um berço, uma voz, um abrigo, alguma paz. Há muitos anos que estão assim, paradas e tristes, sem que o seu número se reduza, a sua dor se atenue, o seu sofrimento acabe.
São as nossas crianças, as que deviam sentar-se à mesa como rainhas, a espreitar embrulhos mágicos durante a noite, como fazem todas as crianças.
Todas?
É uma maneira de desejar a perfeição, humanos que somos. A ver tantas crianças povoar o mundo, sem mesa nem colo, num calendário em que todos os dias não é natal.

Natal de 2007
Armandina Maia

7 comentários:

TsiWari disse...

Andamos numa sintonia sofrida.



***

bettips disse...

Tinha abraços guardados.
Um pequeno sorriso.
Uma consciência a repetir a pena.
Enfim, disseste da mágoa que temos...
Ano de bons desejos para ti.
Bj

MAM disse...

Não "postei" por ser tradição, mas porque vos conto como parte de mim, com ou sem natal por perto.
bjs

bettips disse...

...o único fio que tenho é este...
E o vazio, assusta. A mim.
Bj

Emília Matos e Silva disse...

Passei por este teu espaço virtual e quis deixar votos de um melhor2008 e um abraço.

alecerosana disse...

deixo um abraço

Manuel Luis disse...

Dei uma vista de olhos por estas paginas.Acho que deve continuar pois é agradável de ler.
Nesta fase desejo uma boa Pascoa.
Abraço